Categorias

Os desafios e curiosidades sobre produção de eventos por Marcella Castello Branco

Oláá,

tanta coisa já aconteceu nessa quarentena que agora até eu fui chamada pra falar de produção. Logo eu, a novata que caiu nesse meio mais ou menos de para quedas!

Maaas, como o que tudo o que a nossa Duda Beat* (ou Hanna, como você preferir) pede com o sorriso no rosto (ou nos emotions) é uma ordem, cá estou tentando organizar um texto entre 4 planilhas abertas, alguns emails, um cachorro latindo e alguém assistindo novela. Salve o home office!

Bom, acho que primeiro eu preciso me apresentar, né? Me chamo Marcella e trabalho com logística e produção na Fábrica só que, na verdade, eu comecei a trilhar meu caminho no direito… fiz a faculdade, fui efetivada em escritório e.. sei lá. Faltava alguma coisa, sabe? Eu ainda não sei o que é, mas sinto que achei em algum lugar nessa loucura.

Como eu disse, eu cai mais ou menos de para quedas na produção já que eu nunca tive essa pretensão de trabalhar na área, mas como a minha família é do meio, acabei trilhando esse caminho também.. e mesmo já tendo uma certa ideia de como funcionava a produção dos eventos a frase que mais descreve essa vida é QUEM VÊ CLOSE, NÃO VÊ CORRE.

Nessa minha pouca experiência, a primeira coisa que eu posso garantir é que o glamour está nos olhos de quem vê um radinho pendurado na orelha do produtor. Na verdade, tem muuuito trabalho envolvido até chegar no momento que você, convidado ou cliente, está lá no local todo pronto vendo o produtor de radio na orelha e com mil pulseiras da área VIP na mão. Aliás, essas pulseiras são sempre contadas e a gente presta conta tá?

Atualmente, eu sou da área de Logística e produção artística na empresa, mas o que isso significa exatamente? Bom, a Dani Ribeiro já veio aqui contar um pouco dos pormenores das nossas sagas de logística e produção principalmente em relação ao nosso Reveillon Mil Sorrisos, que acontece na Península de Maraú na Bahia. Mas, basicamente, nós temos que garantir que o artista e sua entourage chegará e sairá do local na hora combinada, que todo o material necessário para sua performance esteja 100% alinhado e pronto para ser executado na hora certa, que todos os requisitos contratuais foram cumpridos de ambas as partes.

Juro que até escrevendo isso aqui eu pensei “só isso?”… agora coloca isso no meio da Bahia no Ano novo, tendo que considerar um milhão de detalhes como a maré baixa, estrada sem asfalto.. ou no meio do carnaval no rio de janeiro, que é praticamente impossível se locomover de um ponto a outro na cidade. E é exatamente nessas diversidades que o produtor precisa ter uma qualidade que eu acredito ser imprescindível… SABER SE VIRAR NOS 30.

Na verdade, é necessário planejar tudo, mapear cada passo organizadamente e, claro, ter a plena noção de que absolutamente NADA vai sair como você planejou nos últimos meses e aí que vem o pulo do gato. Saber transformar o que você achava que aconteceria, com o que de fato precisa ser feito ali na hora, normalmente com um tempo hábil de 30 segundos… e isso envolve, ao meu ver, se preparar para esses momentos.

Ter cartas na manga, planos B C e D é essencial, porque em pouco tempo temos que adaptar e fazer dar certo. E, para isso poder acontecer, organização é essencial. (Meu quarto ta um caos aqui atrás de mim, mas a minha caixa de emails e agenda estão em dia). E isso não significa saber tudo de cabeça o tempo todo, mas sim que se alguém te perguntar alguma coisa você precisa saber onde tem essa informação. Use e abuse de todos os meios possíveis de organização que você pode ter ao seu alcance de maneira fácil.

Outro ponto importante que observei nesses últimos anos é que cresce quem é proativo e sabe se adaptar. Eu, do auge do meu privilégio de poder trabalhar com eventos sensacionais desde o início da minha trajetória, botei uma coisa na minha cabeça: vou aprender tudo o que eu puder com esses produtores fodas que encontro pelo caminho e não vou ter vergonha de perguntar nada. E nessa relação eu conheci outro aspecto importante da produção, que é saber trabalhar em equipe.

Há pouco tempo, em um projeto bem diferente do que estamos acostumados a fazer, tivemos um imprevisto e pouquíssimo tempo para nos adaptar, éramos em 4 produtores todos acostumados a trabalhar juntos e a dinâmica da divisão de tarefas foi completamente orgânica, não sendo necessário ver quem tinha qual função, o nosso objetivo era único e todos simplesmente foram assumindo missões e informando aos demais. E foi lindo de ver. Nem sempre temos a oportunidade de trabalhar só com a mesma equipe, mas as parcerias se repetem se tornando essencial saber cultivar boas relações de trabalho. Afinal, uma bela lista de contatos te ajuda a se virar nos 30 =)

Como eu falei antes, a minha trajetória foi um pouco diferente, não vim de uma escola ou curso de produção e venho aprendendo muito na marra e na experiência, mas eu acho que estudar é sempre uma bela opção. São inúmeros os cursos/faculdades que te preparam academicamente para uma bela carreira e todos os caminhos são válidos!

Pra dar aquela resumida porque se deixar eu faço disso aqui um livro, eu digo: o glamour engana, não pode ter medo de trabalhar duro, tem que se organizar bem e não se apegar ao planejamento, saber se virar nos 30 e cultivar boas relações.

Então se você tem curiosidade sobre essa profissão, se prepare para trabalhar muito e conhecer as melhores pessoas do mundo… são todas meio malucas, tá? Nesse pouco tempo ainda não encontrei nenhum normal no caminho!