Categorias

Fabricando Conteúdo – Isabela Rozental

E aí, pessoal, tudo bem? Sou a Isa, gestora de projetos da Fábrica.

Como começa o processo criativo

Muitas pessoas perguntam como eu faço pra criar. Como começa o processo criativo. É importante começar falando que não existe regra e que cada pessoa vai encontrar um jeitinho seu de deixar as ideias fluírem da melhor maneira possível. Vou tentar ajudar pela minha forma de pensar e, quem sabe, te inspire a criar aquela que faça mais sentido pra você : )

Tudo começa com o conceito do projeto pensado pelo time de criação. O conceito é a temática, como por exemplo a Outros 500 Circus que fizemos ano passado. Quando recebo o conceito de um evento do time de criação, meu ponto de partida pra criar nunca é uma forma específica. Vou justamente no caminho oposto.

Meu pensamento é: qual sentimento eu quero despertar e como conectar as pessoas com aquilo que estou sentindo? Como vai ser essa sensação? Qual estilo de circo queremos abordar? As ideias normalmente vão se desenvolvendo a partir desse ponto de partida. Da sensação. Preciso sentir que aquilo causa um efeito, uma reflexão, uma imersão.

E, para isso, o ambiente onde eu me encontro é muuuito importante no processo. Além das trocas intensas com toda a equipe da Fábrica, preciso ter aquele momento sozinha e refletir sobre essa experiência. Me imaginar naquele espaço e entender como vou chegar lá.

Me ajudam muito nesse processo:

  • Música:  Vou da musica clássica ao pop. É engraçado como vou buscando músicas que se aproximem da sensação que busco em cada ambiente do projeto. Espaços de descanso, espaços só de passagem, pista (espaço de permanência), palco (onde a música pulsa), e vou mudando a Playlist de acordo com isso.
  • Correr: Sim, depois de uma corrida parece que minha mente abre e as ideias fluem melhor. Dizem que correr ajuda na criatividade.. se é verdade não sei, mas pra mim funciona muito.
  • Natureza: Pegar um final de semana e ir à praia, cachoeira ou qualquer lugar que eu tenha contato com a natureza ajuda com que eu relaxe e consiga focar melhor.
  • Madrugadas: É um horário que normalmente estou tão relaxada que consigo colocar melhor as ideias no papel e deixar fluir.
  • Pesquisar a história das pessoas que me inspiram: De profissionais da área. Não pesquiso sobre as obras dele, mas a faculdade que fizeram, aquele curso que dizem ter mudado a vida deles. E aí quando me vejo estou fuçando a grade da matéria rs brincadeiras à parte, bons profissionais muitas vezes tem muito a ensinar pela trajetória de vida que tiveram. Busque saber mais sobre ela! Pode te trazer muitas ideias e inspirações e caminhos menos óbvios.

Tudo precisa estar conectado

De resto, o mais importante é pensar que um projeto de cenografia deve fazer sentido como um todo. Imagino sempre que é como se estivesse projetando uma história, então ela precisa fazer sentido desde a entrada, até a pista, passando pelos bares, alcançando o palco e ativações de marca, até a saida. Tudo precisa estar conectado, se não é como um livro que você le o inicio, pula o meio e quer que o final faça sentido.

A criatividade flui de tudo aquilo que você vai coletando ao longo da vida, pelo menos pra mim. Viagens que faço, livros que leio, revistas que folheio, exposições, filmes, conversas.
Bom, espero ter ajudado com um pouquinho do que funciona pra mim! Se quiserem saber mais, mandem perguntas e podemos falar mais profundamente sobre algum assunto! Espero que esse #fabricandoconteudo te inspire a criar mais e mais! : )

Isa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *